As cobras encantadas da Amazônia

A nossa terra carrega tantos mistérios. A encantaria está na mata que nos cerca, nos rios que nos banham e em tudo que aqui vive. Por isso, neste segundo episódio do podcast Conto Ribeirinho trazemos mais doses de encanto, que estavam guardadas nas narrativas colhidas pelo projeto IFNOPAP. Desta vez as histórias vêm de Abaetetuba e Santarém. Neste episódio, as cobras misteriosas da Amazônia entram em cena. As histórias de Norato e Maria, Cobra Grande e Cobra Negra chegam pelas vozes dos nossos interioranos até teus ouvidos, para que a cultura e o imaginário amazônico se mantenham vivos.⠀

Com esse episódio queremos lembrar que em tempos tão difíceis com a pandemia da COVID-19, a nossa cultura é um caminho para tornar esse momento mais leve no isolamento social. Por este motivo decidimos construir esse episódio mesmo sem acesso ao estúdio da Rádio Web UFPA. Gravamos e editamos nas nossas casas e por consequência, o EP2 não tem uma qualidade sonora tão boa quanto o EP1. Lembrando que os áudios das narrativas que compõem este episódio são de 1994 e vieram diretamente do arquivo de 25 anos do projeto Imaginário nas Formas Narrativas Orais da Amazônia Paraense (IFNOPAP). Procuramos manter o carácter histórico dos áudios que compõe esse podcast, por isso eles podem conter alguns ruídos.⠀

Agora que tu já sabe um pouco sobre o Conto Ribeirinho e sobre o EP2 – As Cobras Encantadas da Amazônia – dá play, fecha os olhos e navega nos encantos dessa terra.⠀

Músicas usadas no episódio:
Eu Venho de Longe – Cobra Venenosa
Rio Mar – Trio Manarí
Cobra Grande – Os Muiraquitãs

Ficha Técnica:
Pesquisa, Roteiro e Locução: Daisy Feio e Denise Salomão
Edição: Denise Salomão
Identidade Visual: Caroline Nogueira
Divulgação: Daisy Feio, Lily Moraes e Tainá Barral.

Matintas

Apresentamos o episódio de estreia do Conto Ribeirinho, um podcast em formato storytelling dedicado a resgatar arquivos sonoros com narrativas orais da Amazônia Paraense. Neste primeiro episódio, trazemos narrativas orais sobre a Matinta Perera, um ser bastante conhecido que possui um assobio assustador e que se revela de diferentes formas aos moradores da região amazônica. Tem quem diga que hora é pássaro, hora é gente. E geralmente quando vira gente aparenta ser uma senhora bem velha que sai às ruas pedindo café, tabaco e outras especiarias. Mas o mais interessante nessas narrativas é que em cada localidades as histórias da Matinta, ou melhor, das Matintas são narradas de formas particulares pelos seus habitantes. 

Os áudios que contém as histórias que selecionamos neste episódio são gravações realizadas em 1994, nos municípios de Abaetetuba e Ananindeua e fazem parte do acervo do projeto de extensão da UFPA, “Imaginário das Formas Narrativas Orais da Amazônia Paraense”, o IFNOPAP. As gravações são antigas, feitas em gravadores analógicos, os áudios deste e dos futuros episódios possuem ruídos que nós buscamos preservar na edição para não danificá-los e também porque acreditamos que seja interessante manter o caráter histórico dessas narrativas que agora passam a ser transmitidas por meio do Conto Ribeirinho.

Teaser Conto Riberinho

Neste teaser apresentamos o Conto Ribeirinho para os nosso ouvintes. Com a breve história de vida de seu Antônio Rezende, em um áudio gravado em fita analógica datada de 1995, esta breve introdução ao nosso podcast tenta dizer ao que veio: potencializar a valorização cultural da Amazônia Paraense por meio da divulgação de narrativas orais coletadas ao longo de 25 anos de existência do projeto Imaginário das Formas Narrativas Orais Populares da Amazônia, o IFNOPAP.